Imagem mulher falando ao celular

Qual estratégia de validação escolher para testar sua ideia?

Validação é uma das partes mais importantes quando estamos criando algo novo. No post de hoje, falaremos dos 4 passos para uma validação perfeita para sua ideia. 

Temos muitas ideias o tempo todo, mas vez por outra temos uma que achamos incrível. Podemos ficar tão empolgados que queremos começar um negócio: não tem como ele dar errado, não é mesmo? Só precisamos do dinheiro para fazer o negócio funcionar. Mas como saber se sua ideia pode dar certo? Como validar sua ideia?

1. O problema que sua ideia atende uma necessidade?

Olhando para os dados no gráfico a seguir, percebemos que a principal causa de falência é não atender a uma necessidade de mercado. Sendo assim, no início do  desenvolvimento de uma ideia o ideal é utilizar estratégias para validar sua ideia no mercado, se ela atende a necessidade do mercado. O importante aqui não é o como você vai a aplicar e sim se as pessoas sentem o problema que você identifica.

Gráfico informando as principais falhas que levam a falência de startups

Fonte: Forbes

Você terá várias hipóteses e deve testar todas as que não tiver certeza da resposta, especialmente se elas invalidarem sua ideia. Com base nessas hipóteses o ideal é fazer uma boa pesquisa de mercado. De preferência com entrevistas presenciais, formulários online, sempre atentando ao tipo de pessoa que interessa para validar o seu negócio. Uma ideia para fazer uma cadeira de bebê automatizada, por exemplo, não faz sentido ser validada por alguém que não tem filhos ou não tem interesse em ter.

2. Tenho mercado em potencial interessado no que eu quero resolver?

As pessoas sofrem com o problema, mas de algum modo elas lidam com ele, seja com soluções paliativas ou coisas improvisadas. Um exemplo é a falta de segurança em shows: as pessoas utilizam doleiras ou evitam levar muito dinheiro ou não levam o celular para minimizar o prejuízo. O mais difícil é entrar no mercado, uma vez que você entra e as pessoas gostam, o crescimento ocorre de forma mais natural.

É importante então saber onde você deve concentrar esforços para gastar menos e ter mais resultados, chamamos isso de mercado de entrada. Para o conhecer existem algumas estratégias baseadas em mínimo produto viável (MVP). Um MVP é algo que simplifique sua ideia para efeitos práticos sem precisar gastar muito tempo ou dinheiro para fazer.

O que recomendamos para esse MVP

  • MVP Fumaça: é um anúncio ou landing page (página simples na internet utilizada para funções específicas) com objetivo claro de uma ação ao final. Como são páginas simples podem ser feitas nas plataformas gratuitas sem muitos problemas. Para saber mais sobre elas sugerimos acessar o material da rock content.
    • Você consegue alcançar muitas pessoas as utilizando, entretanto você estará medindo interesse. E não necessariamente as pessoas que tem interesse realmente utilizaram da sua ideia para resolver o problema delas.
  • Entrevistas: Esse MVP é exatamente o que propõe, realizar entrevistas para validar se a sua ideia seria utilizada para resolver o problema que você identificou. Ela pode ser pensado tanto em relação a clientes finais quanto parcerias ou relações entre empresas. A ideia aqui é ouvir tudo o que os entrevistados têm a dizer. A validação é bastante qualitativa, mas é muito focada em possibilidade o que a torna pouco fiel a realidade
  • Pitch: São apresentações curtas e de impacto com o intuito de vender a sua ideia para pessoas ou instituições que estejam relacionadas com a sua ideia. Esse MVP muito provavelmente será usado em uma apresentação para investidores ou mesmo em uma conversa de bar. Ele é um dos MVPs mais utilizados no ambiente de startup por ser possível aplicar em uma escala razoável e traz a validação qualitativa.
    • Um pensamento muito comum é que compartilhar a sua ideia com outra pessoa pode fazer com que ela “roube” sua ideia e por isso não vale a pena utilizar. Todavia isso não é verdade: o importante para um negócio dar certo é a sua execução. E ninguém vai tocar a sua ideia com o mesmo carinho que você toca porque ela é a sua ideia. Para dicas sobre como fazer um bom pitch, recomendamos esse texto da Endeavor.

3. O mercado sente a necessidade, mas como saber se irá utilizar a sua solução da forma que você está propondo?

Uma vez que você saiba para qual público vender com os recursos otimizados é importante saber se a experiência desse público com a sua ideia será agradável no momento do uso. Muitas vezes ao resolver um problema criamos outro de modo que a ideia é inviabilizada.

Um exemplo foi a Starbucks quando abriu pela primeira vez no Brasil sem conhecer seu mercado. Sua ideia era muito legal para o Brasil, ser um lugar aconchegante e prazeroso para seu cliente. Entretanto suas bebidas tinham um teor de cafeína muito baixo frente ao que os brasileiros estavam acostumados. Para isso MVP também é uma ótima estratégia de validação.

O que recomendamos para esse MVP

  • Concierge: Consiste em fazer o MVP manualmente o que o seu produto faria automaticamente. O acompanhamento é feito de perto e todo feedback dos primeiros clientes é usado para alterar a ideia. Gera insumos bastante qualitativos para validar sua ideia, realizável com pouco ou nenhum dinheiro, mas muito pouco escalável, por exigir muito esforço humano.
  • Mágico de Oz: É um MVP pautado no funcionamento “por trás das cortinas”. Para os clientes, o produto já está totalmente operacional, mas na realidade a maioria dos processos internos são feitos manualmente até definir o que é essencial para o cliente.
    • Um exemplo muito conhecido de uma empresa que utilizou esse tipo de MVP para validar sua ideia foi a Easy Taxi onde havia uma página na Web que as pessoas preenchiam manualmente um formulário com suas localizações. Os sócios recebiam um e-mail com esses dados e ligavam para as cooperativas de taxi buscarem a pessoa no endereço especificado.
    • A validação não é tão qualitativa quanto o MVP concierge, mas continua trazendo bons insumos e ainda possibilita realizar uma quantidade maior de testes por não ter um acompanhamento próximo com cada cliente.

4.  Como saber se meu produto é escalável e realizável?

Ainda na ideia de gastar pouco e ter uma validação assertiva o MVP é uma boa saída. O tipo mais indicado é o protótipo, ele valida aspectos viáveis do seu produto. Ele é focado no produto e não na ideia mais. Caso seja um equipamento ele valida as limitações tecnológicas, é possível saber com maior precisão o preço de fabricação em larga escala.

A validação com o protótipo não termina quando ele é elaborado, o ideal é revalidar com o seu mercado, o uso dele, onde ele foi idealizado.

A CPE deseja uma boa sorte na sua validação! Se quiser saber mais sobre o assunto, separamos dois textos que vale a pena conferir! Um nosso falando da importância da prototipagem e um da Endeavor sobre validação.

E se você estiver pensando em patentear sua ideia, fizemos um ebook especialmente para você! Você pode coonferi-lo aqui.

Guilherme Santos. Consultor de Vendas
2018-06-11T20:49:05+00:00 terça-feira, 05/06/2018|Eletrônica|