O 5 melhores “pequenos aplicativos & grandes negócios”

Todos nós constatamos que a tecnologia está cada vez mais avançada e presente em nosso cotidiano, não é mesmo? Boa parte das pessoas, inclusive eu, tem ficado dependente dos famosos smartphones, com cada vez menos espaço nos celulares em função dos inúmeros aplicativos que baixamos. É um para anotações, outro para e-mails, outro para transporte, outro para pedir comida, e por aí vai. A lista é bem grande.

Tanto é verdade que a probabilidade de você, caro leitor, estar lendo este texto em um celular ou tablet não é tão pequena quanto seria há 5 anos. Definitivamente há quem diga que não sabemos mais viver sem celular, e evitamos pensar na possibilidade de passar um dia sequer sem ele. E quando a bateria acaba no meio do dia? Tratamos logo de “correr atrás” de um carregador, para assim nossa vida voltar a fazer sentido (não é para tanto, mas vale o apelo).

Naturalmente, com esse avanço tecnológico surge um novo mercado repleto de oportunidades para se empreender e gerar impacto nas vidas das pessoas. Dessa forma, neste artigo destacarei 3 aplicativos que começaram de maneira incipiente e hoje se transformaram em grandes negócios. Porém, antes da leitura, já adianto para se ter cuidado: não me responsabilizo por downloads compulsivos das sugestões de aplicativos abaixo. Baixe com moderação.

#1 – Petisco Brazuca

Como o próprio nome desse aplicativo sugere, o Petisco Brazuca é… brasileiro!! Isso mesmo! Foi desenvolvido pelos, advinhem, brasileiros Vanessa Oliveira e Ricardo Rosa (administradora de empresas e publicitário, respectivamente). Mas o que esse aplicativo faz? Novamente nada óbvio, o Petisco Brazuca tem como objetivo fazer delivery de petiscos típicos do Brasil. Porém, a grande sacada é onde isso é feito: na cidade de Nova York.

No começo da empreitada, os próprios sócios desembolsaram uma quantia considerável de US$ 10 mil para o desenvolvimento do aplicativo, além de realizarem as entregas pessoalmente de porta em porta, da maneira mais arcaica possível. O carro chefe era a tradicional coxinha, velha conhecida por todos os brasileiros. Entretanto, com o negócio ganhando corpo, os sócios já alugaram uma cozinha industrial e contrataram funcionários, com uma estimativa de faturamento para este ano de nada menos que US$180.000,00 (mais de meio milhão de reais!!).

Por enquanto, o Petisco Brazuca ainda não chegou no Brasil, infelizmente (ou não: minha dieta agradece…).

#2 – Midiacode

Sabe aqueles santinhos eleitorais que cansamos de ver nas ruas, entupindo bueiros e gerando uma poluição visual sem precedentes? Pois então, o Midiacode é um aplicativo brasileiro que promete e cumpre minimizar essa situação. Como? Simples: esse aplicativo permite que o usuário faça o download em seu celular de santinhos eleitorais digitalizados, com o intuito de possibilitar o acesso dos eleitores às propostas (ou “promessas”) dos candidatos. Essa iniciativa é liderada pelo trio: Robson Lisboa, Luis Gavinho, e Jay Andrews.

No entanto, o Midiacode não se limita apenas à digitalização dos santinhos. Na verdade, ele é um coringa, ou seja, é “universal” na medida em que permite que os usuários convertam um conteúdo qualquer para o formato digital por intermédio de um código. Um bom exemplo de uso ocorre no importantíssimo setor de Educação, onde esse aplicativo já está sendo usado por professores universitários com o intuito de compartilhar apostilas e guias de estudos entre os alunos. É possível (e talvez provável, só o tempo dirá) que o Midiacode seja usado também por alunos para compartilharem trabalhos, mas isso é outra história…

Para o empreendimento, a bagatela desembolsada foi de apenas R$2.000.000,00 (dois milhões de reais!!). O faturamento da empresa ocorre tanto pelo pagamento mensal dos clientes quanto por consultoria dada aos usuários.

#3 – Pizza Co.

Alguém falou pizza??? Sim, é isso aí!! Porém, antes que comece a lhe dar água na boca, sinto-me na obrigação de quebrar suas expectativas: não há pizza real, mas sim virtual. Deixe-me explicar melhor, antes que eu seja punido em praça pública. A Pizza Co. é um aplicativo de realidade aumentada, que tem o intuito de ensinar empreendedorismo para crianças por meio de uma pizzaria virtual que elas devem administrar, controlando, por exemplo, os sabores e preços de cada pizza. Escapei? Ufa!!!

Esse aplicativo foi desenvolvido pela empresa Osmo, que tem como fundadores: Pramord Sharma e Jérôme Scholler. Para fazer o download do aplicativo e ter sua própria pizzaria (virtual, mas afinal quem se importa?), deve-se pagar uma quantia simbólica de apenas US$39,00.

Infelizmente informações de custo inicial e faturamento não foram divulgadas, mas com certeza se trata de um ótimo negócio, não concorda?

#4 – Leiturinha

Talvez o aplicativo que mais fatura entre os citados neste artigo. O Leiturinha é um clube de assinatura de livros infantis, que tem o objetivo de possibilitar que os pais encontrem os melhores livros para cada momento da infância de seus filhos. Espera um instante: quer dizer que eu, Luis dos Santos, por não ser pai (ainda não, obrigado!) não posso acessar esse aplicativo? A resposta é não, claro que pode! Naturalmente, o Leiturinha serve também para tios(as), padrinhos(as), ou qualquer pessoa que queira engajar no ensino e desenvolvimento de uma criança.

Essa iniciativa está no mercado desde 2014, e recentemente recebeu um aporte de R$3.000.000,00. Já dá para brincar, não é mesmo? No ano de 2015, a Leiturinha teve um faturamento de R$2.600.000,00, enquanto a meta deste ano de 2016 é de R$15.000.000,00. Um negócio e tanto!!!

#5 – Troca Fácil

Finalmente chegamos ao último e não menos importante aplicativo por trás de um grande negócio. Em poucas palavras, o Troca Fácil é escambo online. Quando vi pela primeira vez esse aplicativo descrito dessa forma, tive dificuldades com a palavra “escambo”. Pode ser que o leitor também esteja na mesma situação que eu. Caso isto seja verdade, tomo a liberdade em ajudar (após pesquisar essa palavra para escrever esse texto): lembra daquela aula de História, em que o(a) professor(a) comentou sobre a colonização portuguesa do Brasil? Colocando os pormenores de lado, o fato é que o comércio entre portugueses e indígenas se deu por meio do chamado escambo. Lembrou-se? Esse termo, escambo, indica troca. Apesar de antigo, pode ser aplicável ainda nos dias de hoje, em processos comerciais que não envolvem moeda.

Dada essa pequena introdução, fica fácil entender a proposta do Troca Fácil. Nesse aplicativo, o usuário realiza o cadastro pessoal e tira fotos de itens que deseja trocar. Esses itens podem ser à princípio qualquer objeto, com destaque para aqueles que ficam no fundo de uma gaveta e você não vê a hora de se livrar deles. Em seguida, o usuário curte ou descurte os objetos de outras pessoas; caso dê “match”, abre-se um chat para combinarem a troca.

Os 5 grandes negócios demostrados neste texto são excelentes exemplos de como o empreendedorismo pode ser aplicado em pequenas oportunidades que surgem. Não importa o quão recente seja o seu negócio para o mercado, um marketing on-line bem planejado e bem executado pode potencializar seu alcance à novos consumidores do seu produto. Em outro artigo recente do nosso blog apresentamos alguns casos que explicam e exemplificam melhor a importância dessa ferramenta para o mercado digital hoje em dia.

2018-02-09T23:41:24+00:00 quinta-feira, 18/01/2018|Tecnologia da Informação|