IOT e o 5G: Quais as vantagens dessa relação?

Nos últimos anos a tecnologia vem atingindo feitos que seriam inimagináveis no passado. Feitos estes que vão desde a popularização de aplicativos convenientes como Uber, Ifood e netflix, até o uso de Realidade Virtual (VR) e Realidade Aumentada (AR) nas indústrias e hospitais. Dentre estas maravilhosas inovações estão a Internet das Coisas (IoT), que faz com que seus equipamentos eletrônicos conversem entre si.

Mas para que haja uma boa comunicação é preciso de uma boa internet, e é aí que entre o 5G. Para conhecer melhor o assunto vamos voltar e ver um pouco de cada “G”:

O primeiro G: A origem da rede mobile

O primeiro foi o 1G, ou simplesmente G, que permitiu as chamadas de voz sem uma conexão cabeada entre os aparelhos. O sinal utilizado era analógico e tinha uma velocidade similar às da conexões discadas.

O principal uso dessa tecnologia eram em telefones afixados em carros específicos como viaturas, carros públicos ou de reportagens. Além de muito caros, os telefones não era tão móvel assim, eram grandes e muito pesados, chegando a pesar mais de 2Kg.

A segunda geração: O surgimento das mensagens de texto

O 2G possibilitou, além das chamadas com melhor qualidade, a troca de mensagens de texto (SMS) entre os dispositivos móveis. Aqui surgem os telefones “tijolões” que conhecemos um pouco melhor. Com duas “atualizações” nesta tecnologia surgiram também os primeiros sinais de se acessar a internet nos celulares. Esse acesso era em páginas reduzidas e em um protocolo específico, pois a velocidade era cerca de 400kbps.

O 3G: A internet na palma da sua mão

O 3G, por sua vez, trouxe o conceito de internet móvel, possibilitando que as pessoas acessem sites e redes sociais pelo Smartphone. Aqui surgem os smartphones, telefones inteligente e com capacidades similares aos mais simples computadores da época.

O 4G: A evolução da internet

O 4G chegou para ampliar o conceito de internet nos celulares, permitindo acessar muito mais dados em menos tempo. Assim viabilizando o uso de sites e apps que exigem mais internet e mais velocidade, permitindo chamadas de vídeo, voz e Streaming com ótima estabilidade.

E o 5G, o que traz de novo?

O 5G é cerca de 100 vezes mais rápido se comparado ao 4G, fornecendo dados a mais de 1,5 GB por segundo. Além disso, a nova tecnologia é capaz de servir muito mais usuários ao mesmo tempo, proporcionando assim, uma maior estabilidade de rede quando muitas dispositivos acessam do mesmo lugar, por exemplo. 

Mas o verdadeiro diferencial do 5G é sua versatilidade, uma vez que a tecnologia foi projetada para ser compatível nos mais diferentes dispositivos com conexão à internet, indo além dos smartphones, assumindo uma forma universal de se conectar à rede.

Então, o que 5G interfere na Internet das Coisas?

A Internet das Coisas já é realidade no mundo nos mais diversos ramos, desde uma cafeteira a um carro autônomo. São produtos extremamente diferentes, que terão um consumo de dados diferentes, mas que poderão estar integrados em uma mesma rede, ou seja, estarão conectados entre si graças a forma escalável que o 5G funciona.

Junto ao 5G surgem novos protocolos, voltados a redução da latência, que nada mais é que o tempo da conexão, ponto de suma importância para a IoT. Pensando em um carro autônomo, por exemplo, a velocidade da internet é algo que influenciará nas tomadas de decisões do carro. Se o tempo entre algo acontecer e o carro receber essa informação for longo, isso prejudicará a tomada de decisão e pode causar acidentes. Portanto, cada milissegundo pode fazer muita diferença para segurança dos passageiros. 

Além da latência, outra preocupação é com a segurança. Em um mundo conectado, falhas de segurança são, apesar de acontecerem, um perigo enorme. Desde a vazamento de dados sensíveis, como da saúde e hábitos dos usuário, até a possibilidade de um portão ou porta ser aberto e ter sua segurança em risco.

Portanto, torna-se fundamental entender que para a expansão da IoT, é necessário uma internet mais adaptável e rápida. Mas infelizmente ainda estamos um tanto longe disso. Os primeiros smartphones 5G estão sendo lançados agora e a rede em fase de testes. Que este é o futuro, não há dúvidas, mas quando isso irá se popularizar é um mistério.

Pedro GabrielConsultor de Vendas