Design Thinking: Uma abordagem para solucionar seus problemas

A primeira coisa que devemos ter em mente é que design thinking não é uma metodologia, mas sim uma abordagem. Em palavras mais simples: Não existe um método ou fórmula para a aplicação do design thinking.

A abordagem busca uma solução de problemas de forma coletiva e colaborativa. Os stakeholders são colocados no centro de desenvolvimento do produto, não somente o consumidor final, mas todos os envolvidos na ideia.

O processo

O processo consiste em tentar mapear e mesclar a experiência cultural, a visão do mundo e os processos inseridos na vida de cada um dos participantes, com a intenção de obter uma visão mais completa na solução do problema, identificando as barreiras e gerando alternativas viáveis para transpô-las. É algo mais “humano”, sem partir de premissas matemáticas ou muito técnicas.

Etapas

1- Identificar onde encontrar oportunidades de inovação

Conhecer seus pontos fortes, as fragilidades da concorrência, as condições macroeconômicas, etc.

2- Descobrir a oportunidade de inovação

Pesquisas qualitativas e trabalho com soluções de big social data podem indicar a oportunidade que o mercado desenha ao seu negócio.

3- Desenvolver a oportunidade de inovação

Desenvolver o produto partindo das necessidades e percepção de valor do cliente. Lançar mão do processo heurístico para descobrir o diagnóstico e o processo criativo para gerar as possibilidades de produtos.

4- Criar os protótipos

Fazer um MVP-Minimum Viable Product é o ideal. É a versão mais simples de um produto para verificar se sua ideia realmente atinge as necessidades do seu consumidor final.

5- Implementar a solução

Após os testes com respostas positivas acerca de seu produto, ele já está pronto para ser lançado no mercado. O processo de desenvolvimento deve ser contínuo e incremental, ou seja, sua ideia irá ser melhorada permanentemente ao longo do tempo.

Exemplos práticos

Equipe de vendas: Os times comerciais podem utilizar técnicas dessa abordagem para desenvolver uma capacidade superior de “enxergagem” com os olhos do cliente e, por meio disso, criarem estratégias mais poderosas de persuasão;

Brainstorm: Etapas de interrogatório, ideação e prototipação podem auxiliar no processo criativo.

Concluindo

Esta é uma ferramenta de inovação na solução de problemas, uma poderosa estratégia de gestão com o intuito de promover uma experiência mais completa para as pessoas. Sua perspectiva tira o processo criativo da esfera puramente artística e o leva para um cenário funcional, tornando possível a aplicação em diversas áreas corporativas com resultados muito mais sólidos.

Fonte: Endeavor

Bruno OliveiraGerente de Marketing